Cal e o preço da conveniência

Há tempos venho falando que a usina de cana usa cal para correção do pH do caldo mas compra cal por tonelada. Porque?

Qual é o papel da cal no processo de clarificação do caldo? O papel da cal é corrigir o pH do caldo para promover a coagulação e a decantação. Mas mesmo assim este insumo tão barato (mas de custo tão relevante) é comprado por unidade de massa enquanto deveria ser comprado por massa X capacidade de neutralização do solo, ou melhor que isso ainda, deveria ser comprado pela variação de pH que proporciona a uma determinada quantidade de caldo.

Aí vão dizer: paga-se por tonelada por que é mais fácil de controlar – passou pela balança, sei quanto estou usando. Errado! Sua usina joga fora boa parte da cal baratinha que está comprando, sem perceber.

Além das análises laboratoriais que na maioria das vezes analisam tão somente cálcio e magnésio total, a maior parte dos técnicos sucroalcooleiros é sensibilizado pelo controle visual das carriolas de “resíduo” que o operador tira do hidratador de cal ou ainda, pelo consumo de cal por tonelada de cana, sem considerar que se a cal for bem fina vai ser arrastada pelo leite e que se não tiver reatividade ou se for impura, só vai servir para aumentar o volume de torta. Pior ainda, utilizam o consumo por tonela de cana como principal indicador de custo.

O consumo de cal por tonelada de cana moída pode ser um referencial como histórico da usina, mas está longe de refletir as variações safra geradas pelas diferentes qualidades de açúcar produzido, o quanto o caldo foi sulfitado, se recebeu de ácido fosfórico e polímeros ou quão ruin era a cana que entrou na usina.

Na verdade, um controle eficiente da qualidade da cal (e da caleação como um todo) só pode ser feito pela variação do pH na vazão de caldo. Este sim é um número de respeito.

Acho incrível a quantidade de automação que vemos hoje nas usinas e quando buscamos relatórios ve8mos convenções estabelecidas em 1950 para avaliar o consumo de cal: sempre está lá a coluninha cal/t.c.

Quando se trata de consumo de cal, está mais do que na hora das usinas deixarem de tapar o sol com a peneira e passarem a usar um método mais inteligente para medir que tipo de caleação de caldo seu dinheiro está comprando: (pH caleado – pH decantado) X vazão de caldo.

This Post Has One Comment

  1. OSMAR SILVA RODRIGUES

    Qual o tempo ideal para hidratação da cal usada nas usinas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *